Por que não gostei de Buenos Aires?

0
1623
Buenos Aires - Casa Rosada
Foto: Viajesemsegredo

Não cometa os mesmos erros que cometi em Buenos Aires! 

Bom, eu sei que muita gente adora Buenos Aires e tenho certeza que vou causar polêmica.
Quero deixar claro, que não estou dizendo que Buenos Aires é boa ou ruim, estou apenas relatando como foi meu dia por lá!

É um relato sobre o que aconteceu, sobre uma má experiência causada por escolhas ruins que eu fiz, não é uma avaliação sobre a cidade. A intenção aqui é mais para “Não cometa os mesmos erros que cometi”.

Pesquise, faça seu planejamento, leia muito sobre o destino, não faça como eu fiz, ir para Buenos Aires sem pré conhecimento foi um erro que me custou uma má experiencia. Aproveite também para ler algumas dicas sobre destinos na Argentina clicando aqui.

Por que não gostei de Buenos Aires?

Meu planejamento era de ficar apenas doze horas em Buenos Aires. Só decidi parar por ali pois fazia parte da rota, estava chegando de Colonia del Sacramento e iria pra Córdoba. E como me arrependi de ter parado!

Achei a cidade suja,  insegura e extremamente cara. Os preços mudam muito quando percebem que você é brasileiro.

Pra começar, chovia, mas isso não era desculpa pra não explorar Buenos Aires. Na correria, achei que a coisa mais lógica a se fazer, era comprar o bilhete do ônibus turístico pois na euforia e com o tempo apertado, achei inviável andar de metrô, ter que olhar o mapa no celular a todo momento, talvez não tenha sido a melhor escolha, mas assim, eu poderia fazer as paradas nos pontos turísticos do meu interesse, com mais liberdade além de me proteger da chuva.

Veja a rota e os valores do ônibus turístico de Buenos Aires no site oficial: http://www.buenosairesbus.com/pt/

Enquanto esperava o ônibus, que atrasou é claro, fui abordado por pivetes pedindo dinheiro por três vezes e eles não eram nada amigáveis, completamente intimidadores. Quando chegou o  ônibus, a moça me disse que não poderia embarcar pois não tinha mais lugar na parte coberta, se eu quisesse, teria que ir na parte de cima, na chuva, ou fazer o tour no dia seguinte. Eu não tinha o seguinte!!!

Voltei para onde comprei o bilhete, expliquei a situação para a vendedora e ela me devolveu o dinheiro, porém ela acabou me convencendo a comprar um tour de três horas, com paradas especificas, Casa Rosada, La Bombonera e Caminito. Ok, não era barato, mas também não era tão caro quanto o ônibus turístico. O detalhe é que a van sairia as 13h e ainda eram 10h da manhã.

Bom, o que fiz então? Fui caminhar pela cidade na chuva e aproveitei para procurar algo para comer de café da manhã e enrolar até as 13h. Durante a caminhada encontrei um shopping e resolvi parar por ali para me proteger da chuva e eu não estava me sentido nada seguro nas ruas, parecia que estava escrito “GRINGO” na minha testa e a todo momento eu era abordado por algum pedinte ou gente querendo vender algo.

O que me espantou naquele shopping, foi a quantidade de brasileiros por láEnquanto estava sentado em um banco próximo à Starbuks para pegar o Wi-Fi “emprestado”, me pus a pensar:

-O quê será que faz as pessoas saírem do Brasil, ir até a Argentina, pra ir ao shopping? As coisas não são mais baratas aqui. Talvez eles estejam apenas fugindo da chuva e buscando um pouco de segurança como eu… Vai saber…

Me cansei de ficar ali sentado, nem parecia que eu estava na Argentina de tanto português que eu escutava. Era quase meio dia, e resolvi ir até ponto onde van pararia. Lembram que o horário combinado era às 13h?
Quando cheguei a van já estava lá me esperando, com gente dentro pois ela tinha ido buscar as pessoas em seus hotéis e eu era o ultimo passageiro. Até aí, nada demais correto?
Não! Não está correto! Coloque-se no lugar daquelas pessoas que teriam que ficar por uma hora esperando o último passageiro. Elas teriam que ficar paradas dentro de uma van por uma hora. Por sorte, cheguei adiantando. Pra mim, pontualidade é fundamental.

O tour até que foi legal, como só tinha brasileiros na van, o guia falava portunhol e era bem divertido. Foi um momento que consegui me sentir confortável.

Outra coisa que me causou indignação, foi a parada na Bombonera. O guia nos alertou para não cruzarmos a linha do trem pois correríamos sérios riscos de ser assaltados. Um lugar repleto de turistas e nada de segurança. Enfim, tenha cuidado se for visita-la.

A ultima parada, Caminito, todos os vendedores falam português (portunhol). Um lugar feito para turistas, tudo completamente caro, mas a fome bateu e me rendi ao cafezinho e um alfajor.

O tour terminou e eu não tinha mais nada pra fazer por ali, a não ser esperar o horário do ônibus para Córdoba, então resolvi tomar uma cervejinha pra passar o tempo.
Parei em uma barraquinha de rua mesmo e cometi o pior erro de todos: Pedi a cerveja sem perguntar o preço antes! Na hora de pagar, me cobraram $80 pesos argentinos por uma LATA de cerveja!

Depois desse “assalto”, já cansado, fui para o terminal de ônibus, afinal, o que mais poderia acontecer?

Aconteceu!! Por ter ficado muito tempo no terminal, fui abordado pela policia. Foram educados, abordagem normal, nada de mais, só um pouco constrangedor.

Contudo, acredito que a chuva, o pouco tempo e não ter pesquisando antes como me locomover por lá, foram cruciais para que eu tivesse essa má experiência. Buenos Aires não tem culpa pela minha falta de planejamento.

Comentários